Polícia faz operação por suspeita de fraude em licitação na Câmara de Guaratinguetá

Segundo a polícia, contratação de empresa de sanitização pela Câmara tem indícios de irregularidade. Empresa teria sido contratada com valor sete vezes maior que o valor de mercado.

Duas pessoas foram presas nesta quinta-feira (5) em uma operação da Polícia Civil que investiga fraude em contratos da Câmara de Guaratinguetá. De acordo com a polícia, os envolvidos são suspeitos de participarem de fraudes em licitação ligada à pandemia do coronavírus.
Foram cumpridos dois mandados de prisão e outros seis de busca e apreensão em endereços diferentes ligados aos Legislativo a e uma empresa de sanitização e desinfecção. A identidade dos presos não foi divulgada.
De acordo com a polícia, eles apuram a fraude na contratação da empresa que fez sanitização e desinfecção dos prédios do Legislativo. A empresa foi contratada com dispensa de licitação e, segundo a apuração da polícia, há indícios de superfaturamento – com cobrança sete vezes maior que o valor de mercado – e de conluio em entre empresas para favorecimento.
O valor gasto com a contratação da empresa também não foi divulgado.
A reportagem procurou a Câmara de Guaratinguetá, mas aguardava o retorno até a publicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *