CENTROS DE BAIXA PRESSÃO DEVEM TRAZER CHUVA PERSISTENTE E VOLUMOSA PARA A REGIÃO ATÉ 21 DE ABRIL

Centros de baixa pressão devem trazer chuva persistente e volumosa para a região entre 15 e 21 de abril. Há um sistema atuando na costa do litoral do Sudeste, junto ao litoral do Rio de Janeiro, neste sábado (15), de acordo com o Instituto de Meteorologia Metsul, e isso estimula instabilidades em áreas de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. No Vale do Paraíba já teve chuva neste sábado em alguma cidades.

Centro de baixa pressão, também conhecido como ciclone, é uma área de pressão atmosférica mais baixa em relação à sua vizinhança. Em um ciclone, o ar quente sobe e o ar frio desce, o que leva a uma diminuição da pressão atmosférica na região afetada. Os ciclones são frequentemente associados a condições climáticas instáveis, como tempestades, chuvas fortes e ventos fortes. Isso ocorre porque a diferença de pressão entre o centro do ciclone e a região ao redor faz com que o ar se mova em direção ao centro, formando ventos circulares em torno do centro de baixa pressão.

A Metsul alerta que vai haver uma sequência de centros de baixa pressão até sexta-feira (21/04) atuando no sul e centro sul do Brasil, o que afeta diretamente o Vale do Paraíba e Litoral Norte. Vai haver riscos de temporais isolados, embora o sol possa aparecer.

Na segunda-feira (17), outro centro de baixa pressão se forma no litoral do Rio Grande do Sul e vai trazer instabilidade e chuva para as cidades da região. Na quarta-feira (19), um terceiro centro de baixa pressão se forma entre os litorais do Sul e do Sudeste, depois de ter avançado a partir do Mato Grosso do Sul, e este sistema deve ser mais profundo e amplo, trazendo chuvas generalizadas.

Este terceiro sistema de baixa que se converterá em ciclone extratropical sobre o oceano contribuirá por impulsionar ar mais seco e frio para o Sul do país na segunda metade da próxima semana, o que fará com que sejam registradas madrugadas mais frias e com mínimas abaixo da média desta época do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *