Bombeiros realizam teste de compatibilidade para doação de medula óssea no hemocentro de Taubaté

Segundo a corporação, o objetivo é salvar vidas e influenciar todo o cidadão a fazer o mesmo

Na manhã desta terça-feira (2), 42 militares integrantes do 11º Grupamento de Bombeiros, se deslocaram até o Hemocentro de Taubaté, onde realizaram um teste rápido de compatibilidade de medula óssea, para uma possível doação futura.
De acordo com os bombeiros, a campanha foi idealizada após conhecimento da necessidade do jovem Renan de Andrade, de 23 anos de idade, morador de São José dos Campos. Ele foi diagnosticado com um tipo de câncer raro, e busca um doador de medula óssea compatível. O objetivo é salvar vidas e influenciar todo o cidadão a fazer o mesmo.
Ainda segundo os Bombeiros, além do Renan, a campanha pode beneficiar outras pessoas que também aguardam por um doador que seja compatível para o transplante de medula, visto que as informações colhidas são encaminhadas para um cadastro nacional.
Para realizar o teste de compatibilidade é necessário coletar apenas 5ml de sangue, ter entre 18 e 54 anos, estar em bom estado de saúde, e ter em mãos um documento.
A tenente PM Tais Sayuri Kawamoto, gestante de 5 meses, decidiu fazer o teste e afirma que “Doar é vida! Ter a possibilidade de ajudar alguém é uma dádiva. Eu sou muito grata a vida, e acho que parte importante dela corresponde ao que podemos dividir com outras pessoas. Todo mundo tem limitações e precisa de outras pessoas, então doar é muito importante porque sempre vai ter alguém precisando. Às vezes a gente acredita que doar se trata de grandes gestos mas não é necessariamente isso. Doar é apenas se colocar em uma posição de disponibilidade para outras pessoas. Não importa se você está doando medula, sangue, um pouco do seu tempo, ou mesmo uma palavra de suporte. Para quem está recebendo sempre vai ser algo precioso”.

O CB Sandro que reside em Pindamonhangaba trouxe o filho e esposa, Maisa Valesca Freire de Souza Silva, que também contribuiu com a Campanha.

Quem também esteve presente foi o Tenente PM Eber que levou a filha, Maria Clarah de Freitas Rodrigues Fonseca, de 16 anos, que não pode fazer o teste de compatibilidade de medula, mas acabou doando sangue pela a primeira vez, e para isto ela precisou de uma autorização por ter menos de 18 anos.

Para quem deseja fazer doação é só entrar no site do hemocentro e agendar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *