Homem é preso suspeito de manter mulher em cárcere privado em Ubatuba

Vítima de 36 anos é natural de Rondônia e conheceu o acusado por meio de rede social.

Um homem de 43 anos foi preso na tarde desta segunda-feira (21), em Ubatuba (SP), acusado de manter uma mulher, de 36 anos, em cárcere privado. Uma criança, filha do acusado e que estava sob os cuidados dele, foi encaminhada ao Conselho Tutelar.

De acordo com a Polícia Civil, o caso teve início em São Miguel do Guaporé (RO), onde a vítima mora e conheceu o suspeito. A polícia de Rondônia foi quem informou a Polícia Civil de Ubatuba sobre a situação. Os policiais foram ao endereço informado e encontraram a mulher e o homem em um apartamento.

De acordo com o boletim de ocorrência, os policiais encontraram a mulher em estado de choque. Ela afirmou em depoimento, segundo a polícia, que estava em cárcere privado e sofrendo ameaças, sem conseguir retornar para casa.

O homem teria negado as acusações, mas, segundo o boletim de ocorrência, entrou em contradição. A polícia decretou a prisão preventiva dele e levou os dois para a delegacia.

Histórico

O boletim de ocorrência informa que a mulher mora em São Miguel do Guaporé (RO) com o marido e um casal de filhos. Ele teria conhecido o homem por uma rede social em fevereiro e, desde então, conversavam amigavelmente.

Segundo o boletim de ocorrência, ele afirmou que o casamento dela não ia bem e estava abalada psicologicamente. Por isso, em 2 de setembro, aceitou se encontrar com o acusado em Pimenta Buena (RO). De lá, eles foram para Campo Grande (MS), onde teriam iniciado um relacionamento amoroso. De lá, os dois e a criança, filha do suspeito, foram para Ubatuba, em 9 de setembro.

Assim que chegaram no município do litoral norte paulista, teriam ficado em um apartamento aparentemente abandona. A vítima afirmou, de acordo com o boletim de ocorrência, que o acusado a obrigou a desativar a localização do celular, não a deixava falar sozinha ao telefone e fazia ameaças, como matar o marido da vítima.

Um dia, ela entrou no banheiro e conseguiu enviar uma mensagem ao pai para pedir ajuda. Contou o que se passava e deu o endereço onde estava. Com a chegada da polícia, ela afirmou que não sofreu maus tratos e não foi privada de alimentação, mas estava sendo obrigada a ficar no local sob ameaças de morte dirigida ao marido.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *