Asilo em Campos do Jordão tem sete das 18 mortes por Covid-19 na cidade

Instituição abriga 92 idosos e 41 testaram positivo para a doença. Além de internos, 20 funcionários também testaram positivo.

Sete das 18 mortes por Covid-19 em Campos do Jordão são de idosos do asilo da Fundação Santa Cruz. De acordo com a prefeitura, dos 92 idosos na unidade, além dos mortos, 41 estão infectados pelo vírus. A Vigilância Sanitária informou que acompanha o caso.
A Fundação Santa Cruz é uma entidade beneficente ligada à Igreja Católica e mantém um asilo para idosos de residência permanente. O primeiro registro da doença no asilo foi no dia 12 de julho, quando uma enfermeira testou positivo para o novo coronavírus. À época, a vigilância fez testes em massa nos internos e funcionários e foram identificados 15 pacientes com a doença.
Desde então, o número tem se ampliado no local. Na última segunda-feira (10), a gestão confirmou dez novos casos no asilo, além de mais duas mortes. De acordo com a Secretaria de Saúde, foram sete óbitos até agora, todos de idosos. Os pacientes mortos tinham entre 63 e 90 anos, além de comorbidades. Ao todo, são 41 casos positivos entre idosos e mais 20 entre funcionários.
Além das mortes confirmadas, a gestão informou que ainda aguarda resultados de outros dois óbitos. Seis internos que tiveram o teste positivo para a doença estão internados, dois deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Apesar do volume de casos na instituição, a prefeitura informou que tem feito fiscalização e as medidas de segurança têm sido tomadas. O local foi separado em alas para manter os idosos com caso confirmado, mas estáveis, em isolamento social. Há ainda uma ala separada para pacientes com sintomas permanecerem enquanto aguardam resultados de exames.
Os funcionários que testaram positivo foram afastados e estão em isolamento. Todos os que apresentam sintomas estão também sendo afastados. A prefeitura forneceu equipamentos de segurança, como luvas, máscara e álcool em gel para a instituição.
A reportagem não conseguiu localizar nenhum responsável pelo asilo até a publicação da reportagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *