Estado vê melhora e tendência do Vale é passar para fase com maior flexibilização da quarentena

Vale e região bragantina tiveram flexibilização da quarentena no início desta semana, com reabertura do comércio. Evolução pode significar reabertura de novas atividades econômicas.
Uma semana após o anúncio do plano de flexibilizações da quarentena, o governo de São Paulo avaliou que houve melhora nos índices do Vale do Paraíba e informou que a região tem tendência em passar a uma fase com mais liberações.

Atualmente, o Vale do Paraíba se enquadra na cor laranja do modelo de quarentena do Estado, o que significa fase de controle, com eventuais liberações. A faixa permitiu a reabertura com restrições de atividades imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shoppings.

Uma possível evolução para a fase de cor amarela permitiria a retomada de atividades como salões de beleza e de bares e restaurantes.

O Estado reforçou que o aumento dos casos não tem relação com a flexibilização da quarentena iniciada na segunda-feira (1°). Além disso, afirmou que os indicadores avaliados tiveram melhora na região.

“Nós podemos identificar na região do Vale do Paraíba uma melhora no indicador de internações, o que possibilita passar para a próxima fase, a fase amarela, fase três, se os números se consolidarem. Os números são bem objetivos: internações, casos, capacidade hospitalar dentro de taxa de ocupação e leitos por 100 mil habitantes.

Fundamental dizer manter as práticas de isolamento social, utilização de máscaras para poder consolidar esses números na próxima semana”, disse o secretário de desenvolvimento regional do Estado, Marcos Vinholi.

A cor e fase de cada região do mapa é determinada por uma série de critérios, entre eles taxa de ocupação de UTIs e total de leitos a cada 100 mil habitantes. Os indicadores são avaliados junto com dados de mortes, casos e internações por Covid-19 para determinar a fase em que se encontra cada região.

Segundo o governo, as regiões serão avaliadas periodicamente de acordo com os indicadores de saúde, verificando se cumprem os critérios para avançarem a uma fase de maior relaxamento a cada 14 dias ou voltar para uma fase mais restrita a cada 7 dias (ou imediatamente, caso haja evidência da piora da situação). Uma possível flexibilização pode ser anunciada na próxima semana.

Até ontem (quinta-feira), a região do Vale e região bragantina registraram 2.973 casos confirmados do novo coronavírus com 123 mortes.

São José dos Campos, maior cidade da região, chegou à marca de 1.002 pessoas contaminadas em menos de três meses desde o primeiro caso. Desse total, 641 estão recuperadas (63,9%), 269 em isolamento domiciliar (26,8%), 50 internadas (4,9%) e 42 mortes (4,1%). A cidade ainda tem 907 casos suspeitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *