Taubaté registra casos de coronavírus em bebês gêmeos

Registros são os primeiros confirmados da doença em bebês na cidade. Eles estão em isolamento em casa e testaram positivo depois do pai, PM, também ser infectado.

Taubaté registrou dois casos positivos de coronavírus em bebês gêmeos. Os registros são os primeiros de bebês infectados pelo vírus na cidade. Os dois estão bem e em isolamento domiciliar.

As crianças são os filhos gêmeos de um ano e sete meses de um policial militar que trabalha na capital e também foi infectado pelo coronavírus. Em isolamento domiciliar, a família reforça o pedido de que as pessoas fiquem em casa para proteger os profissionais da linha de frente.

As crianças e o pai, 30 anos, foram incluídos no boletim da vigilância epidemiológica na terça-feira (19) quando a cidade chegou aos 75 casos confirmados. A mãe das crianças conta que os gêmeos foram testados no domingo (17) depois que o pai teve resultado positivo para o coronavírus.
O PM fez o teste rápido oferecido pelo governo estadual e pelo resultado está curado, tendo passado pela infecção pelo vírus de forma assintomática.

Dominique conta que desde o dia 11 de março está em isolamento com as crianças em casa. Os bebês, Mário e Rebeca, nasceram prematuros e por receio de que pegassem o vírus, deixou de sair ou de permitir visitas da família.

“Eu tinha medo de que se eles pegassem, ficassem graves e depois de tudo que passamos na maternidade, não queria vê-los de novo em hospitais”, conta.
Como profissional essencial, o pai era o único que saía de casa nesse período, mas tomando todos os cuidados no retorno para casa. Dominique conta que ele não entrava em casa com a roupa de trabalho e tomava banho antes de ter contato com as crianças. O teste dele e das crianças positivo foi uma surpresa para a família.

“Ele passou por isso assintomático, então nem tivemos como prever e ele ficar distante dos bebês. Por um milagre, mesmo com a saúde deles vulnerável, eles não estão com nenhum sintoma, estão bem”, disse.

Dominique também foi testada, mas o resultado foi negativo. Com sintomas de gripe, sem paladar e olfato, os médicos explicam que ela pode estar com o início da doença e, por isso, o teste rápido ter dado negativo.

Os pais de Dominique também estão em isolamento em casa e com sintomas da doença. Isso porque, com o marido em São Paulo, eles ajudaram a levar as crianças para tomar uma vacina. Eles são acompanhados pela Vigilância Epidemiológica e, segundo a prefeitura, vão ser testados. A família também está em isolamento.

“Uma pessoa pode infectar várias outras. Meus pais são grupo de risco. As pessoas precisam entender que isso se espalha além do seu controle e coloca outras pessoas em risco. As pessoas precisam entender que ficar em casa é para proteger os outros e aqueles que estão se arriscando por elas”.

(G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *