Turismo estima perda de R$ 300 milhões após edição de festival ser cancelada em Campos do Jordão

Festival de Inverno de Campos do Jordão de 2020 foi adiado para janeiro de 2021 devido à pandemia, mas com regressão à fase amarela, edição foi cancelada. Festival era aposta de movimento para economia da cidade na baixa temporada.

O Governo de São Paulo cancelou a edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão que aconteceria em janeiro de 2021. O evento havia sido adiado para o início do próximo ano devido à pandemia, mas o governo decidiu pelo cancelamento após a regressão do Estado para a fase amarela.
O evento no início do ano era a aposta do setor de turismo para movimentar a economia na cidade durante a baixa temporada. O setor estima perda de R$ 300 milhões com o cancelamento e redução do turismo por causa da pandemia.
De acordo com a Secretaria estadual de Cultura, a decisão foi tomada com a regressão para a fase amarela, que impõe restrições na realização de eventos.
Assim, será mantida apenas a edição do Festival de Inverno no início do segundo semestre de 2021. O evento será entre os dias 19 de junho a 15 de agosto, com 161 apresentações – 41 a mais que a prevista para 2020.

ECONOMIA
O festival é a principal atração da cidade e movimenta mais de 130 mil pessoas por fim de semana de evento, que geralmente é realizado na alta temporada. De acordo com relatório estadual, a programação gira no turismo cerca de R$ 131 milhões.
Com o comércio fechado no auge da temporada e com o adiamento do evento, as organizações que representam o turismo estimaram perda de R$ 300 milhões para o setor, que envolve de rede hoteleira a gastronomia.
Segundo o Sindicato de Hotéis e Pousadas (Sinhores), nenhum estabelecimento ultrapassou ganho de 10% do valor da temporada do último ano. A expectativa do setor era de que o festival acontecendo na baixa temporada trouxesse alguma recuperação.
“O prejuízo este ano foi muito grande e vimos com bons olhos quando o governo nos deu um reforço de atrativo na baixa temporada. O adiamento nos deixou decepcionados. A cidade é carente de atrativos nessa época e sem isso não vamos ter qualquer recuperação”, comentou o presidente do Sinhores, Paulo Costa.
O sindicato ainda comenta que o retorno à fase amarela também impactou o comércio local, que teve restrições em outra temporada em que há aumento do turismo, que são as festas de fim de ano. Na cidade, bares e restaurantes estão funcionando até às 22h e também há restrição na lotação nos hotéis e pousadas.
Até a noite da quarta-feira (9), Campos do Jordão registrava 1.445 casos confirmados de coronavírus e 37 pacientes mortos pela doença desde o início da pandemia.
Em nota, a prefeitura informou que apoia a decisão do Estado, uma vez que o adiamento do festival visa a preservação da saúde da população.
“Estamos na fase amarela do plano de retomada econômica, que prevê atenção, com os casos crescentes, em todo o país. A Prefeitura tem total segurança, que o Festival, assim que for possível será realizado, nos mesmos moldes como no passado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *