Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, suspende atividades e libera cadetes

Medida vale até o próximo dia 27. Adesão ao licenciamento é voluntária e cerca de 1.700 cadetes devem deixar dependências da instituição nesse período.

A Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, no Sul do Rio de Janeiro, decidiu suspender as atividades e liberar os cadetes. Segundo nota divulgada pela instituição, a medida começou a valer na última sexta-feira (8) e segue até o dia 27. A Aman tem 25 casos confirmados de coronavírus.

Ainda de acordo com a Academia, a adesão ao período de licenciamento é voluntária. A previsão é de que, dos 1.765 cadetes, cerca de 1.700 devem deixar a Academia durante esse período.

“O Comando da Aman tomou, portanto, a decisão de oferecer aos cadetes a possibilidade de adesão à liberação para a visita aos seus familiares. Foram mantidas as recomendações para a manutenção da disciplina de prevenção sanitária e a sua difusão no âmbito dos grupos sociais para onde se deslocarem. Importante ressaltar que a adesão ao período de licenciamento é voluntária. […] O cadete que desejar poderá permanecer nas instalações da Aman tendo acesso às medidas sanitárias correntes”, diz o comunicado.
A Academia Militar informou que está intensificando o controle sanitário, tanto na saída quanto no retorno dos cadetes. Os ônibus utilizados foram inspecionados e o uso das máscaras foi obrigatório durante todo o trajeto.

“Caso algum cadete teste positivo para o coronavírus, durante o licenciamento, permanecerá em uma unidade de saúde ou em sua residência, conforme orientação médica, até que seja constatada sua plena recuperação. Por ocasião do retorno à Aman, os cadetes passarão novamente por uma fiscalização sanitária, retomando o regime de quarentena que se estenderá por 15 dias”, esclarece a instituição.

Dos 25 casos confirmados de coronavírus registrados na Aman, 21 são cadetes e quatro militares. Dois militares estão sendo tratados em casa e outros dois já são considerados curados, por já terem passado do período de quarentena e não apresentarem mais os sintomas da Covid-19. Alguns pacientes estão internados no Hospital Militar de Resende (HMR).

A Academia tem tomado uma série de medidas para evitar a propagação do coronavírus. Entre elas, a desinfecção de ambientes internos, como as alas dos cadetes e a aplicação de um questionário epidemiológico entre os militares.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *