Grupo de Parkour de Taubaté se manifesta após virar meme

Em nota divulgada na segunda (27), grupo defende praticantes da modalidade e defende repercussão negativa na internet após exibição de reportagem na TV.

Em janeiro de 2012, Maria Verônica Vieira levou ao mundo o nome de sua cidade. A façanha de ganhar espaço em rede nacional por conta de uma falsa gravidez de quadrigêmeos fez com que a mulher fosse ‘rebatizada’, pegando emprestado o nome de sua terra natal e adicionando-o a sua alcunha – algo reservado a um seleto grupo, liderado por Leonardo da Vinci. Nascia a “Grávida de Taubaté”.

Desde então, “de Taubaté” deixou de ser apenas um adjetivo indicativo de regionalidade e transformou-se em um sinônimo de, digamos, falsidade. “Hétero de Taubaté”, “santa de Taubaté” e “milionário de Taubaté” são alguns exemplos de uso da deliberação.

O Parkour de Taubaté virou meme após internautas criticarem as manobras feitas por praticantes do esporte durante reportagem exibida na TV Vanguarda, afiliada da Rede Globo, sobre o interesse das mulheres na modalidade.

Imediatamente as redes sociais foram infestadas de memes sobre a modalidade esportiva taubateana. “Nem a grávida de Taubaté era tão falsa quando o Parkour de lá”, apontou Raul Ferreira, no Twitter.
Já outros moradores da cidade demonstraram orgulho de mais um feito produzido por aquelas bandas. “Tenho para mim que como o meme da grávida de Taubaté saturou, a cidade buscou produzir outra pérola, porque não é possível isso aqui!”, comemorou Mylla Sampaio.
Além disso, outros internautas apontaram o fato da prática ser inclusiva. “Depois de ver o vídeo das mulheres que fazem parkour em Taubaté eu finalmente encontrei um esporte que tenho condições de praticar”, celebrou Yuri Gadelha.

O Parkour de Taubaté se manifestou na noite da segunda-feira (27) após viralizar na web. Em nota publicada nas redes sociais, as responsáveis pelo perfil defenderam a prática da modalidade e criticaram a repercussão negativa na internet.

No comunicado, o grupo afirma: “enquanto alguns tentam subverter a respectiva cena de forma maliciosa em uma forma de bullying, nós enxergamos esta mesma cena como algo lindo e extremamente forte, pois ele não difama e sim exalta a representatividade feminina dentro da prática independente de qualquer característica física ou nível de habilidade”.

Para as participantes do perfil, o parkour é um esporte majoritariamente masculino e divulgar o crescimento de interesse de mulheres pela modalidade “possui uma importância imprescindível para o empoderamento feminino”.

O Parkour é um esporte em que o objetivo é se deslocar de um ponto a outro de modo rápido e direto, sem desviar de obstáculos como muros, vãos ou carros. A prática é feita com manobras como saltos e escaladas.

“Somos um grupo que representa uma prática que não julga, não segrega, não exclui e não reforça estereótipos imbecilizados que uma parte da sociedade pinta para praticantes de qualquer que seja o esporte”, diz a nota.

VEJA ÍNTEGRA DA NOTA ABAIXO
O Parkour Taubaté se pronuncia sobre o vídeo da entrevista da TV Vanguarda que viralizou hoje (27/01/2020).
Recebemos este final de semana na cidade o 11º Encontro Feminino de Parkour, um encontro de nível nacional que tem como objetivo fomentar e potencializar a prática no meio das meninas. Parkour é um ambiente majoritariamente dominado por homens e um evento deste possui uma importância imprescindível para o empoderamento feminino dentro da prática, sobretudo nos dias atuais.
Gostaríamos de dizer que o Parkour Taubaté é exatamente o que é mostrado no vídeo, independente de deboches inescrupulosos ou risadas maldosas. Somos um grupo que representa uma prática que não julga, não segrega, não exclui e não reforça estereótipos imbecilizados que uma parte da sociedade pinta para praticantes de qualquer que seja o esporte. Acolhemos todxs que nos busquem e nos esforçamos diariamente para criar um ambiente receptivo, amigável e motivador para qualquer pessoa que se sinta á vontade para tentar algo novo. Parkour é uma ferramenta coletiva de empoderamento que usamos a todo tempo para mostrar para as pessoas que elas são capazes de ocupar o lugar que sentir vontade.
Mais do que isso, sentimos orgulho e nos sentimos honrados por receber praticantes fantásticas e extraordinárias, tanto dentro quanto fora da prática, na nossa cidade. Vivemos num momento onde não daremos espaço para preconceitos de qualquer que seja a natureza. Enquanto alguns tentam subverter a respectiva cena de forma maliciosa em uma forma de bullying, nós enxergamos esta mesma cena como algo lindo e extremamente forte, pois ele não difama e sim exalta a representatividade feminina dentro da prática independente de qualquer característica física ou nível de habilidade.
Reforçamos que a prática de qualquer atividade para saúde, lazer e bem-estar é perfeitamente receptiva a todos os tipos de pessoas desde que você respeite seus limites e tenha bom-senso.
Declaramos abertamente nosso incondicional apoio a todas as praticantes expostas nestas postagens e gostaríamos de lembra-las de que vocês são nossas heroínas. Obrigado por compartilhar o brilho de cada uma de vocês nas terras taubateanas. Somos pessoas reais, que valorizam sentimentos e que ativamente tentam construir um ambiente menos nocivo e irracionalizado para se conviver. De falso aqui só a grávida mesmo.
Atenciosamente, toda a comunidade de Parkour em Taubaté.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *