Justiça decreta prisão de empresária e marido suspeitos de golpe milionário em Jacareí

Eles prometiam retornos financeiros de alta lucratividade em investimento no setor têxtil. Pelo menos cem pessoas foram vítimas do esquema e prestaram queixa a polícia desde 2 de julho. Polícia pediu quebra de sigilo bancário da dupla.

Troca de mensagens da investigada com uma das vítimas menciona envolvimento do marido no esquema — Foto: ReproduçãoTroca de mensagens da investigada com uma das vítimas menciona envolvimento do marido no esquema — Foto: Reprodução

A Justiça decretou a prisão da empresaria e do marido suspeitos de aplicar golpes em um esquema financeiro em Jacareí (SP). A mulher prometeu às vítimas retornos de alta lucratividade em investimentos de empresa do ramo têxtil. Ela e o companheiro estão foragidos e são procurados. Pelo menos cem pessoas procuraram a Polícia Civil desde o último dia 2 para prestar queixa contra a dupla.

A prisão foi determinada na última sexta-feira (12) e o processo está em segredo. A decisão foi encaminhada à Polícia Federal para que eles sejam incluídos no sistema nacional de pessoas procuradas. A polícia informou que ainda apura o paradeiro dos dois, mas espera a quebra de sigilo bancário revele os locais que percorreram nos últimos dias. O pedido foi feito, mas ainda depende da análise da Justiça.

A investigação começou quando 40 pessoas procuraram a polícia no mesmo dia alegando terem caído em um golpe. De acordo com as vítimas, eles compraram pacotes de investimento em uma empresa do setor têxtil, com sede em São Paulo e gerenciada pela empresária que sumiu.

Para obter os depósitos das vítimas, a empresária e prometia ganhos entre 30% a 80% sobre o valor investido em menos de um mês. Segundo a polícia, o marido atuava com ela no escritório onde as vítimas eram captadas. Somado, o prejuízo delas soma mais de R$ 4 milhões, segundo a polícia.

O chamado ‘acordo comercial’ entre as partes era feito por meio de contrato, com data prevista de pagamento da lucratividade. Algumas das vítimas contaram que chegaram a ter parte do retorno dos valores prometidos na data combinada, mas ao tentarem resgates adicionais, a empresária fazia uma nova oferta de investimento, o que na prática era o suposto ‘reinvestimento do valor’.

Vítimas faziam contrato de parceria comercial com suposta golpista em Jacareí — Foto: Arquivo pessoalVítimas faziam contrato de parceria comercial com suposta golpista em Jacareí — Foto: Arquivo pessoal

Sumiço

No dia 28 de junho, a procurada acionou o ‘grupo de investidores’ e disse que tinha tomado um calote da empresa onde aplicava o dinheiro no investimento, mas disse que devolveria o crédito das vítimas. Depois disso ela fechou a loja que tem em um shopping e deixou a casa onde morava.

Segundo o delegado Pedro Silva, responsável pelo inquérito, a prisão da suspeita deve esclarecer se, de fato, havia ou não uma empresa por trás do esquema.

“Nós queremos saber por onde ela tem movimentado a conta dela, para saber do paradeiro deles e fazer a prisão. Além disso, queremos entender se havia uma empresa por trás dela, como alegado, ou se esse montante era movimentado apenas por eles”, explicou. Até aqui, a suspeita da polícia é de que ela movimentava um ‘esquema de pirâmide’.

A polícia ainda conseguiu autorização para busca e apreensão no escritório do casal para coleta de documentos e computadores.

A reportagem do G1 tenta contato com a empresária no telefone dela. Um dos familiares da suspeita respondeu uma mensagem enviada por aplicativo pelo G1 e disse não poder colaborar porque não tem informações da dupla desde que as queixas começaram

Além do inquérito policial, 40 vítimas já entraram na Justiça, em processos individuais contra a empresária, para cobrar o ressarcimento dos valores.

Em mensagens, suposta 'acionista' contou que tinha levado golpe da empresa onde aplicava os investimentos das vítimas — Foto: ReproduçãoEm mensagens, suposta ‘acionista’ contou que tinha levado golpe da empresa onde aplicava os investimentos das vítimas — Foto: Reprodução

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *